fbpx

Novas perspetivas oferecidas pela tecnologia BIM para o desenvolvimento de projetos de telecomunicações

Compartilhar link:

A chegada do BIM (Building Information Modeling) é uma verdadeira revolução no desenvolvimento de projetos de arquitetura e construção. Mas, como isso afetará aos projetistas de telecomunicações?

Neste artigo veremos como a tecnologia BIM irá causar um impacto (positivo) no desenvolvimento de projetos de infraestruturas de telecomunicações nos edifícios.

O que significa trabalhar com modelos BIM?

A principal característica da tecnologia BIM é o desenvolvimento de um modelo digital (3D) do edifício. Este modelo virtual pode ser criado a partir da informação gerada por todos os agentes que intervêm no desenvolvimento do projeto.
Sendo assim, o projeto BIM é capaz de consolidar num único local todos os dados do projeto (não apenas geométricos, mas também dados de cálculo e relatórios justificativos).

Projeto tridimencional

Primeiramente, é imprescindível deixar de lado o conceito de trabalhar em 2D e passar a um trabalho tridimensional, de modo que a localização dos elementos deve ser realizada levando em consideração a sua posição espacial. Este aspeto repercute num projeto mais preciso, já que os elementos serão posicionados no seu lugar exato de instalação. Além disso, a medição dos materiais e cálculos serão otimizados já que o comprimento dos cabos e canalizações serão mais coerentes com a realidade.

Trabalho colaborativo

O BIM traz consigo a possibilidade do trabalho colaborativo, o que permite que a informação seja transmitida naturalmente entre todos os integrantes do projeto. Com isso conseguimos, por exemplo, posicionar as nossas tomadas de telecomunicações de modo que o engenheiro eletrotécnico também poderá conhecer esta posição e, por consequência, também posicionará as respetivas tomadas de energia elétrica. Outro exemplo é o posicionamento do sistema de captação para que a instalação de proteção contra descargas atmosféricas contemple os barramentos de terra necessários, entre outros usos. Seria muito interessante projetar uma instalação de domótica conhecendo com precisão os equipamentos a automatizar? E comprovar a iluminação necessária numa sala para cinema?

Além disso, já que o trabalho é realizado conjuntamente através de um único modelo virtual, surge a oportunidade do reconhecimento de incidências e colisões já nas fases iniciais do projeto. Será possível que o projeto da instalação de telecomunicações se realize atendendo à posição das canalizações elétricas, hidráulicas e condutas de climatização.

Um passo importante a destacar é atualização da instalação ainda em fase de projeto. Imaginemos que, por exemplo, surgem modificações no projeto. Até agora, num fluxo convencional de trabalho, deveríamos modificar todos os desenhos e relatórios enviar tais documentos aos diferentes agentes afetados pela modificação. Esta tarefa requer tempo e ainda gera uma preocupação adicional: a gestão das versões. No entanto, com a tecnologia BIM, será suficiente atualizar o modelo BIM, de modo que todos os agentes serão notificados automaticamente, em tempo real, sem perdas de informação ou tempo de trabalho.

Outros usos adicionais

Já que o trabalho é realizado 100% através de ferramentas informáticas, o desenvolvimento do projeto permitirá um controlo de modificações sem a necessidade de softwares externos.

A maioria das plataformas para o desenvolvimento de projetos BIM na nuvem dispõe de aplicativos para dispositivos móveis, de modo que é possível receber notificações em tempo real avisando sobre modificações realizadas no projeto.

Ao trabalhar com um modelo virtual poderemos utilizar os recursos de realidade aumentada, para conhecer com exatidão a posição dos elementos para, por exemplo, realizar a manutenção de uma instalação ou verificar onde estão localizadas as canalizações para realizar uma modificação.

Implicações técnicas para o projetista de telecomunicações

Realmente, ao projetista de telecomunicações não será necessário um conhecimento técnico avançado para iniciar o desenvolvimento de projetos em BIM. Talvez seja o coletivo que menor interação (ou este foi o cenário até agora) possui com as demais disciplinas do projeto. O esforço a realizar centrar-se-á no conhecimento destas novas ferramentas informáticas que estão surgindo para levar adiante esta empreitada (Autodesk Revit, Allplan, Archicad, CYPE, ACCA Software…), e em saber aproveitar o potencial que oferece esta tecnologia (que será algo progressivo e que nos iremos habituando à medida que trabalhamos com ela).

Evidentemente, é possível que um projeto desenvolvido em BIM requeira mais tempos devido ao nível de precisão que a tecnologia requer, mas certamente este é um esforço que nos levará a realização de projetos de maneira mais eficiente e com menores problemas nas fases de execução.

A mudança é necessária, muitas vezes custa a adaptação às mudanças, mas agradeceremos num futuro por realizar este esforço ao colher os frutos e vantagens causados por esta mudança de mentalidade.

mm
Compartilhar link:
mm

Óscar Alcón Peña

Óscar Alcón é Engenheiro de Telecomunicações. Sua missão é difundir o uso da tecnologia BIM dentro da sua área. Se encarrega de estabelecer "conexões" e "transmitir" boas vibrações à todo mundo.

You may also like...