fbpx

Como a tecnologia BIM pode auxiliar no desenvolvimento de projetos mais sustentáveis?

Compartilhar link:
  • Este método de trabalho facilita a troca de informação entre os profissionais das diversas áreas, relativas ao desempenho do edifício, como simulação energética, acústica, estudo luminotécnico, análise de ciclo de vida, etc.

O setor da construção tem vindo a ser sujeito nos últimos anos a um aumento tanto ao nível das exigências como do cumprimento de normas relacionadas com a eficiência energética. A necessidade de reduzir as emissões de CO2, minimizar o consumo energético e reduzir a dependência energética dos imóveis são algumas das linhas estratégicas que o setor está seguindo em busca dos denominados nZEB – Nearly Zero Energy Building ( Edifícios de necessidades quase nulas de energia).

 reducir la dependencia energética de los inmuebles son algunas de las líneas estratégicas que el sector está siguiendo en búsqueda de la consecución de los denominados edificios de energía casi nula (nZEBs).

Estas exigências, que se manifestam no mundo todo, em forma de normas locais, regionais e nacionais, também se expandiram e contribuíram para o aparecimento e popularização de diferentes certificados e selos que aportam aos edifícios que os conseguem um valor adicional e diferenciador como é o caso dos certificados VERDE, BREEAM, LEED, WELL, HQE, entre outros.

Paralelamente a esta necessidade de construir edifícios mais eficientes e sustentáveis, o setor da construção está assumindo como natural a denominada tecnologia Open BIM, que implica uma metodologia de trabalho colaborativo e em tempo real, conectando os diferentes agentes de um projeto desde a fase inicial de conceção arquitetónica até à manutenção periódica após a construção, através da utilização de arquivos em formato aberto e modelos digitais.

Com estas necessidades em vista, edifícios mais eficientes e a utilização de uma tecnologia que facilita o trabalho colaborativo, o BIM converteu-se numa excelente tecnologia para facilitar a conceção destes edifícios sustentáveis. A pergunta que muitos profissionais fazem hoje é: “Como é que isto é possível quando se diz que o BIM pode ser uma barreira para empresas e profissionais de menor dimensão?”

Todos os softwares “falam o mesmo idioma”

Hoje em dia, atingir edifícios mais sustentáveis implica num trabalho multidisciplinar em diversos campos, onde a utilização de diferentes aplicações especializadas, e que muitas vezes são utilizadas por diferentes profissionais que intervêm num mesmo projeto, é cada vez mais necessária. Diferentes cálculos e verificações são cada vez mais necessários: simulação energética, análise acústica, luminotécnica, análise de ciclo de vida, etc.

Este é o ponto onde a metodologia BIM pode ajudar e facilitar o projeto sustentável, já que a tecnologia permite que as aplicações a ela adaptadas “falem o mesmo idioma” permitindo partilhar informação, dados e cálculos de uma forma rápida, ágil e automática. Com o fluxo de trabalho Open BIM dizemos adeus às tediosas tarefas de exportação e importação de resultados, de acordo com os limites estabelecidos por uma única suíte ou programa determinado, como acontecia até há pouco tempo atrás, conseguindo, como consequência, prazos mais curtos e uma redução nos custos dos projetistas.

Formatos standard e abertos

Através do Open BIM cada engenheiro ou arquiteto participante no projeto tem a oportunidade de realizar os seus cálculos nos arquivos específicos da aplicação que utiliza e partilhar com os demais agentes intervenientes do projeto BIM os arquivos gerados em formatos standard, normalmente em IFC. Estes arquivos standard incorporam a informação imprescindível para levar adiante e com êxito o projeto num ambiente de trabalho Open BIM, podendo conter informações auxiliares necessárias como plantas em DXF, medições e orçamentos (BC3), documentos e relatórios (PDF), fotografias e renders, modelos 3D e esforços obtidos a partir de análises estruturais (glTF), nuvem de pontos, etc.

Consolidação do modelo BIM

BIMserver.center, graças a um processo denominado por “consolidação”, com o qual a plataforma inclui e integra os diferentes modelos compostos por todas as soluções adotadas em cada uma das áreas do projeto, é possível ler toda a sua informação (seja ela cargas térmicas, resultados de simulações energéticas, acústicas, circuitos de instalações HVAC, lâmpadas, etc.) e apresentá-la de forma integrada no modelo federado.

Deste modo e diferentemente de outras soluções na nuvem, a metodologia Open BIM proposta pelo BIMserver.center é capaz de ler toda a documentação dos ficheiros partilhados pelos engenheiros e arquitetos, de modo que estes mantêm uma conexão estável com cada software utilizado por estes profissionais. Assim, cada membro pode trabalhar de forma autónoma na respetiva área, utilizando as aplicações que mais lhes convêm, com a vantagem das modificações introduzidas se atualizarem automaticamente no projeto sem a necessidade de as carregar de novo e constantemente.

Com esta filosofia, os projetistas que participam num projeto e que precisem realizar o cálculo das áreas relacionadas com a sustentabilidade do edifício não precisam alterar os seus hábitos convencionais de trabalho. Deste modo o coordenador do projeto não precisará “impor” a utilização de uma determinada suíte de programas, pois a metodologia Open BIM proposta pelo BIMserver.center permitirá uma melhoria na comunicação de resultados entre os especialistas sem necessidade de realizar grande investimento económico.

mm
Compartilhar link:
mm

The BIMserver.center Team

O BIMserver.center Team é um grupo de especialistas que se dedicam a diferentes áreas do setor da engenharia, arquitetura e construção. Juntos, eles discutem, promovem e disseminam a tecnologia Open BIM pelo mundo.

You may also like...

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *